quinta-feira, maio 24

Veta Dilma??? será?


"A campanha Veta Dilma, que pede veto total ao novo Código Florestal, mostra o quanto um tema complexo tratado de forma genérica e, por vezes, leviana, gera conclusões simplistas e parciais sobre um assunto tão relevante para toda a sociedade. A linha dos defensores do veto total é: "Você prefere proteger as florestas ou anistiar ruralistas desmatadores?"


Políticos, artistas, professores, empresários e a sociedade como um todo são levados a acreditar que mudar o Código Florestal será uma catástrofe ambiental, um enorme retrocesso para o Brasil. Não se espera que todas essas pessoas tenham um conhecimento profundo sobre o tema, mas quando recebem informações genéricas, simplistas e, em muitos casos distorcidas, é fácil tomar partido, sem colocar os desafios em perspectiva."

Ao ler isso hoje, em meio a grande campanha Veta Dilma! me peguei questionando o quanto EU estava inteirado sobre o assunto, fui atrás do conteúdo deste documento para realmente ter certeza do que estava pedindo a nossa presidente. Gosto sempre de deixar claro que NÃO votei em Dilma Roussef, mas ela É a presidente do meu país.
segui lendo o texto:

"Como o tema é sensível, ainda mais na véspera da Rio+20, o apelo para assumir o lado contra os produtores rurais é atrativo. Ainda mais quando políticos, artistas e empresários defendem que é melhor seguir a onda do que é vendido como sustentável, do que se arriscar e entrar num debate denso e sério. É mais fácil. Afinal, pesquisa DataFolha aponta que 85% dos brasileiros priorizam a proteção ambiental e 79% são a favor do veto.

É impossível ir na contramão, ainda mais quando as redes sociais tornaram a campanha Veta Dilma um sucesso, e quando as ONGs não construtivas promovem campanhas nas ruas das principais cidades brasileiras. As pessoas são provocadas a assumir um lado, e é fácil abraçar a "causa da sustentabilidade" em detrimento de um setor que é tachado de contrário ao desenvolvimento sustentável.

O que ninguém gosta de falar, no entanto, é que a famigerada pesquisa foi feita com apenas 1.286 pessoas e, pasmem, apenas 6% dos entrevistados disseram que estavam por dentro das discussões do Código Florestal! Isso significa que 77 pessoas tinham base para responder a pesquisa. É possível dizer que 0,00041% da população brasileira representa a visão da nossa sociedade?

É razoável usar uma pesquisa com uma amostragem pequena e dizer que ela reflete a sociedade brasileira? Entendo que não, mas na prática ela serve para o propósito genérico de sustentar uma tese sem entrar nos detalhes, sem gerar um debate sério.

Concordo que haverá veto parcial para trazer a regra mínima de recuperação das Áreas de Preservação Permanente hídricas. O Icone defende a importância dessa recuperação, mas destaca que é fundamental gerar um debate sobre como criar incentivos para que a recuperação seja viabilizada. Afinal, o código atual prevê isso, mas nunca conseguiu viabilizar a recuperação, pois põe todo o ônus somente sobre o produtor.

O clamor pelo veto total da presidente Dilma significa que não é preciso reformar o Código Florestal, uma lei que tem quase 80 anos, e nunca conseguiu resolver a questão da ocupação de terras no Brasil. Na linha dos argumentos genéricos, é melhor manter a lei velha, desconectada da realidade do País, e manter quase 90% dos produtores na ilegalidade. Assim a pressão eterna por políticas ineficientes de comando e controle terão espaço.

Ora, manter a lei atual contraria o senso de democracia e o processo legislativo, pois as últimas alterações do código foram feitas sob a pressão do desmatamento elevado que assolava o Brasil entre a década de 1980 e o início dos anos 2000. A realidade hoje é outra. As taxas de desmatamento caem ano-a-ano, e se, todos os atores - produtores, Estado, órgãos ambientais, madeireiros, indígenas, assentados, ONGs, sociedade - cumprirem seus papéis diante do novo código aprovado, o desmatamento cairá ainda mais.

As estimativas apontam que aproximadamente 90% do desmatamento é ilegal. Com o Cadastro Ambiental Rural o governo terá condições de controlar desmatamento, separando o ilegal do legal. Poderá cobrar os produtores que não se regularizarem, aplicando multas, e aí entra a não anistia! Poderá até mesmo cuidar de questões fundiárias, outro mal que foi jogado para baixo do tapete, e que precisa ser resolvido imediatamente.

'Veta Dilma' significa que seria necessário recuperar mais de 100 milhões de hectares de vegetação nativa. De um lado, isso obrigaria perder áreas produtivas. De outro, manteria outras florestas desprotegidas, que poderiam ser legalmente desmatadas. Isso é sustentabilidade? O veto total significa manter uma lei ineficiente e impossível de ser cumprida. Na visão de quem o defende, esse caminho parece adequado, pois é bonito ter leis rígidas, mesmo que não possam ser cumpridas.

Passou da hora de se fazer política de forma séria. O Brasil do futuro nunca alcançará todas suas potencialidades se temas como o Código Florestal forem tratados de forma superficial. Minha aposta é a de que o veto não será total, e o bom senso irá prevalecer. Nossa presidente tem uma visão profunda sobre os desafios do nosso País, e saberá tomar uma decisão acertada.

Rodrigo C. A. Lima. é gerente-geral do Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais (Icone) e pesquisador da Rede de Conhecimento do Agro Brasileiro (RedeAgro).

Outro texto que me chamou a atenção, de Marina Silva:

 "As implicações do novo texto do Código Florestal vão muito além do que o catastrofismo dos ambientalistas radicais permite enxergar. Produtores rurais não odeiam o meio ambiente, muito antes pelo contrário. Quem conhece algum produtor rural de perto sabe que eles sabem o valor das árvores em suas propriedades, das nascentes e córregos. A grande antipatia que os produtores rurais sempre demonstraram ante as exigências do Código Florestal tinha origem no fato de que elas eram apenas isso: exigências.

Em certas situações alguns produtores rurais tinham condições práticas, uns com mais, outros com menos sacrifício, de atenderem as exigências da lei e faziam isso. Mas em outras situações a adequação do imóvel ao Código Florestal de 1965, remendado várias vezes, era impraticável, impossível de ser cumprido. O ambientalismo entrincheirado nas ONGs e nos órgãos ambientais do Estado (Ibama, Ministério Público, Oemas) sempre foi absolutamente indiferente a essas impossibilidades, a essa realidade do campo brasileiro.

O fato da lei vigente obrigar os produtores rurais a recuperarem com seu próprio sacrifício as APPs de seus imóveis, criou no Estado o vício da coerção. Os agentes públicos, e as ONGs ambientalistas, no Brasil estão doutrinados pelo hábito a buscar a preservação de florestas em terras privadas através da fiscalização, da multa, do poder de polícia, da denúncia, do enfrentamento.

Ao cobrar de forma insensível as exigências do Código Florestal vigente, o Estado criou no campo (e não nas cidades desobrigadas do Código Florestal) o anseio social que se espelhou no Legislativo, dando vitória ao texto de reforma da lei, sempre por maioria folgada de votos.

A partir do momento em que o novo Código Florestal desobriga os produtores rurais de recuperarem com seu próprio sacrifício as suas APPs descortina-se a oportunidade de agentes públicos, e ONGs, buscarem a preservação de florestas em terras privadas de outras formas. Não mais pelo constrangimento e a ameaça, mas pela aproximação, por parcerias, pelo diálogo franco, sem carapaças, por incentivos. Não me surpreenderia se esse caminho nos levasse onde o ambientalismo radical jamais nos levou: à eficácia na preservação de florestas.

Conheço um sem número de produtores rurais, novos e velhos, grandes e pequenos, ricos e pobres. Por prazer e por dever de ofício eu converso com eles, tomo café, ando com eles por suas fazendas, pito vez por outra um cigarro em suas varandas. Acredito piamente que a partir do momento em que o ambientalismo e os agentes do governo substituírem o semblante fechado e o dedo em riste pelo sorriso franco e o tapinha no ombro, a sociedade brasileira perceberá o grande aliado do meio ambiente que cada produtor rural desse país pode se tornar.

Esse novo mundo, essa nova forma de se buscar a preservação ambiental, exigirá também um novo ambientalismo. João Paulo Capobianco, Paulo Adário, Mario Mantovani, Adriana Ramos, Maria Cecília Wey de Brito, Marina Silva, Carlos Minc, Sarneyzinho, são jihadistas de um ambientalismo religioso, fundamentalista. Não existe conciliação possível entre esse tipo de ambientalismo e o Brasil rural.

Se a sociedade brasileira escolher de fato o caminho da proteção ambiental, se reconciliar com o Brasil rural, como mostrou na reforma democrática do Código Florestal aprovada pelo Congresso, não haverá mais espaço para os ecotalibãs jihadistas.

Será preciso reduzir o marinismo ao que ele é de fato: um movimento sonhático pitoresco, uma coisinha engraçadinha que a gente vai lá brincar com ela de vez em quando e depois põe de lado para tratar de coisas sérias. A sociedade brasileira precisa aprender a dar ouvidos aos ambientalistas sérios e realmente comprometidos com o preservação ambiental, com os brasileiros e com o Brasil."

Então, o que pensar, o que dizer a manipulação?
Vou sim fazer a minha parte: esperar pelo bom senso e apoiar o que for melhor para todos.
edinho saez





quinta-feira, maio 17

De volta, pra ficar!

Sim, é isso mesmo... um ano e quase meio sem postar nada, sem tesão nenhum de escrever, mas aí deu vontade de retomar. Na verdade foram alguns vários motivos.Acredito que aqui eu consigo me colocar de maneira mais clara e sem compromisso com 3os.
Desde meu último post, muitas coisas mudaram, inclusive Eu, de casa, de cidade, de estado, rsrs. Tudo começa com um projetinho para uma conhecida, que nos tomou uns 2 meses, depois veio um outro e outro e acabamos vindo para um apartamento de uma outra conhecida! - bem pouco conhecida, rsrs. por fim, nos mudamos para São Paulo, achamos "A" casa do jeito e no lugar que queríamos. Cercado por amigos, numa vila incrível e principal: perto! sabe o que isso significa morando em SP??? É quase um sonho impossível! 


Realizações e tropeços a parte, o trabalho fluindo e mais amigos chegando. 
Adaptações e ajustes feitos na construção do que chamamos "nossa casa", agora tá quase lá, só falta uma coisinha aqui outra ali e pronto! Será??? Já mudamos as cores da sala algumas vezes, os móveis outras mais, a última foi girar toda a casa, explico: a sala subiu para um dos quartos, onde era nosso quarto, esse foi para o outro, onde funcionava nosso pequeno escritório improvisado que por sua vez desceu para onde era a sala! Parece simples assim, mas cada sofá, cada armário, cada cadeira etc etc etc - como temos coisas! - foi um parto. E essa porrada de fios... Claro, que quando você muda os móveis e ambientes também mudam as cores das paredes! kkkkkkkkkk
Por enquanto está tudo calmo, por enquanto, dentro de alguns dias chegam os novos armários do escritório, hum... acho que não haverá necessidade de mexer nas cores das paredes (?), e já começamos a pensar no jardim de cima, pra poder dar mais privacidade no terraço! 


Agora também temos 2(dois) gatos = Johnny e Walker 9 (não, não é dupla sertaneja), ajudam bem a preencher a casa. Aí paguei a língua, sempre falei mal dos felinos e cá estou, babando nas criaturas. 

Ahh, a família continua linda e feliz!
até mais

segunda-feira, janeiro 3

Verão / 2011


O ano novo veio!! Finalmente chegou!
Começou bem demais, festa bacana, amigos queridos, marido do lado... tudo quase perfeito... quase: porque mal acordei e lá estava ela! Ela: Dilma!!!!!!!! Tomou posse "dilmavez".

Só desviei o meu olhar e vi que tinha sol. Show!
Praia, piscina... e mais amigos.
Durantre a semana: mais praias, mais amigos, e amigos novos... Lugares legais, MUIIIIITTTTTTTTAAAAAAAAAAA gente linda! Delicia, é verão!

Dia 2 de janeiro: jornais, bombardeiam Jurerê Internacional, praia dos ricos da ilha de Florianópolis! Mostram as fotos da praia com lixo por toda extensão, mostram e ridicularizam um determinado local reservado aos muito ricos, ridicularizam a extravagância de dinheiro. O Brasil ainda tem pobres, tem milhares de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza, e aí quem conseguiu um lugar ao sol vira alvo de chacota! Estivemos no local, adorei. Serviço perfeito, pessoas tranquilas, gente bacana, as mais diversas faixas etárias. Chamou a atenção o número de crianças, soltas, brincando e correndo, salva vidas por todo lado, e os pais aproveitando os seus poucos dias de folga! incomoda? com certeza, é difícil ter que ir a uma praia lotada, carregando tudo que tem direito - e até um pouco mais! rsrs - ficar atento as crianças para não sumirem, para um infeliz não roubar sua havaiana ou qualquer outro pertence! tomar bolada de frescobol, é é de matar qualquer um.
Quanto ao lixo do reveillon... emtão... quem escreveu esqueceu de mencionar o que é Copacabana no dia 1o de janeiro, também Santos, REcife, Salvador, e a Av Paulista!! e nem citei todos os locais de reveillon, que com certeza até no escafundó do brejo o povo que se reune na praça também suja tudo e sai fora.
Mas esse(a) jornalista não deve ter sido convidada para uma das mesas vips de R$ 20.000,00 (por pessoa), porque com certeza teria ido e adorado! Outra pergunta, porque jornalista tem um "quezinho" de comunista??? kkk A D O R O!!!!
Quando era jovem o Guarujá era uma delícia, tudo acontecia lá, e lá estavam, os despeitos de plantão! Quer falar mal? Vamos lá!? Quantas cestas de natal voce doou para familias carentes? quantas cartinhas enviadas ao papi noel voce retirou dos correios e enviou o presente? Por favor, vá fazer sua parte! O mundo tá muito chato!
Por favor, de maneira nenhuma compactuo com a sujeira nas praias, o povo é igual em todo canto: fato! Argentinos em Buenos Aires são educados, aqui chutam o balde, americanos gritam, sujam e lá no seu país são educados, franceses, italianos, espanhóis, enfim, o povo, nao todos ok? quando estão lnge de casa aproveitam para anarquisar o quintal alheio! Fato!quando ouvia falarem mal de brasileiros pelo mundo afora ficava com vergonha, realmente presenciei cenas medonhas dos patriotas! Depois comecei a perceber que outros estrangeiros nos mais diversos países se comportavam da mesma maneira!

Educação é a base, e no nosso mundo esta está em 2o. ou até mesmo 3o. plano!

Faço minha parte, conto com que cada um faça a sua! E corro todo dia pra ser ainda mais feliz!
FELIZ 2011

EDYNHOSAEZ

domingo, dezembro 5

Violência contra homossexuais - por Dráuzio Varella


Violência contra homossexuais


Negar direitos a casais do mesmo sexo é imposição que vai contra princípios elementares de justiça


A HOMOSSEXUALIDADE é uma ilha cercada de ignorância por todos os lados. Nesse sentido, não existe aspecto do comportamento humano que se lhe compare.
Não há descrição de civilização alguma, de qualquer época, que não faça referência a mulheres e a homens homossexuais. Apesar de tal constatação, esse comportamento ainda é chamado de antinatural.
Os que assim o julgam partem do princípio de que a natureza (leia-se Deus) criou os órgãos sexuais para a procriação; portanto, qualquer relacionamento que não envolva pênis e vagina vai contra ela (ou Ele).
Se partirmos de princípio tão frágil, como justificar a prática de sexo anal entre heterossexuais? E o sexo oral? E o beijo na boca? Deus não teria criado a boca para comer e a língua para articular palavras?
Se a homossexualidade fosse apenas uma perversão humana, não seria encontrada em outros animais. Desde o início do século 20, no entanto, ela tem sido descrita em grande variedade de invertebrados e em vertebrados, como répteis, pássaros e mamíferos.
Em alguma fase da vida de virtualmente todas as espécies de pássaros, ocorrem interações homossexuais que, pelo menos entre os machos, ocasionalmente terminam em orgasmo e ejaculação.
Comportamento homossexual foi documentado em fêmeas e machos de ao menos 71 espécies de mamíferos, incluindo ratos, camundongos, hamsters, cobaias, coelhos, porcos-espinhos, cães, gatos, cabritos, gado, porcos, antílopes, carneiros, macacos e até leões, os reis da selva.
A homossexualidade entre primatas não humanos está fartamente documentada na literatura científica. Já em 1914, Hamilton publicou no "Journal of Animal Behaviour" um estudo sobre as tendências sexuais em macacos e babuínos, no qual descreveu intercursos com contato vaginal entre as fêmeas e penetração anal entre os machos dessas espécies. Em 1917, Kempf relatou observações semelhantes.
Masturbação mútua e penetração anal estão no repertório sexual de todos os primatas já estudados, inclusive bonobos e chimpanzés, nossos parentes mais próximos.
Considerar contra a natureza as práticas homossexuais da espécie humana é ignorar todo o conhecimento adquirido pelos etologistas em mais de um século de pesquisas.
Os que se sentem pessoalmente ofendidos pela existência de homossexuais talvez imaginem que eles escolheram pertencer a essa minoria por mero capricho. Quer dizer, num belo dia, pensaram: eu poderia ser heterossexual, mas, como sou sem-vergonha, prefiro me relacionar com pessoas do mesmo sexo.
Não sejamos ridículos; quem escolheria a homossexualidade se pudesse ser como a maioria dominante? Se a vida já é dura para os heterossexuais, imagine para os outros.
A sexualidade não admite opções, simplesmente se impõe. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais. O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira.
Mais antiga do que a roda, a homossexualidade é tão legítima e inevitável quanto a heterossexualidade. Reprimi-la é ato de violência que deve ser punido de forma exemplar, como alguns países o fazem com o racismo.
Os que se sentem ultrajados pela presença de homossexuais que procurem no âmago das próprias inclinações sexuais as razões para justificar o ultraje. Ao contrário dos conturbados e inseguros, mulheres e homens em paz com a sexualidade pessoal aceitam a alheia com respeito e naturalidade.
Negar a pessoas do mesmo sexo permissão para viverem em uniões estáveis com os mesmos direitos das uniões heterossexuais é uma imposição abusiva que vai contra os princípios mais elementares de justiça social.
Os pastores de almas que se opõem ao casamento entre homossexuais têm o direito de recomendar a seus rebanhos que não o façam, mas não podem ser nazistas a ponto de pretender impor sua vontade aos mais esclarecidos.
Afinal, caro leitor, a menos que suas noites sejam atormentadas por fantasias sexuais inconfessáveis, que diferença faz se a colega de escritório é apaixonada por uma mulher? Se o vizinho dorme com outro homem? Se, ao morrer, o apartamento dele será herdado por um sobrinho ou pelo companheiro com quem viveu por 30 anos?
Drauzio Varella
post EdynhoSaez

terça-feira, novembro 30

1o. Dezembro / World Day to Combat AIDS


O 1º. de dezembro se transformou em dia de luta contra a Aids, nesse dia, é importante reforçar a solidariedade e a compaixão com as pessoas portadoras do vírus HIV.

A Organização Mundial da Saúde passou a escolher grupos sociais atingidos pela Aids e definir estratégias para uma campanha com o objetivo de sensibilizar a opinião pública.

O vírus HIV é o causador da Aids e foi descoberto em 1979, pelo Instituto Pasteur, na França. A sigla do vírus está em inglês e significa Vírus da Imunodeficiência Humana.

tá na rede:

PLANTÃO GAZETA
30/11/2010 11:43
Amanhã é Dia Mundial de Luta contra a Aids
Esta quarta-feira (01.12) é o Dia Mundial de Luta contra a Aids. O dia foi instituído como forma de despertar a consciência da necessidade da prevenção, aumentar a compreensão sobre a pandemia e promover análises da sociedade e órgãos públicos sobre a doença.

Em todas as edições é definido um tema para trabalho. Neste 1º de dezembro de 2010 foram escolhidos temas relacionados ao preconceito ainda latente na sociedade de uma forma geral. “O preconceito apresenta-se como uma das maiores barreiras para quem vive com Aids, interferindo até na adesão ao tratamento. A Aids é uma doença crônica que possui tratamento e controle”, disse a técnica da Coordenadoria Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, Marlene Plaster.

Para este ano, a Campanha de Conscientização terá como público alvo jovens em geral (homens e mulheres), com idade de 15 a 24 anos, com prioridade nas populações de baixa renda. A proposta segunda a técnica é dar maior visibilidade as questões de viver com HIV/AIDS além de combater o estigma e a discriminação e mostrar a proximidade da doença do universo dos jovens.

Segundo o Sinan, do ano de 1989 a novembro de 2010, Mato Grosso apresentou registro de 8.930 casos de AIDS. Dados específicos em menores de 13 anos, a notificação é de 197 casos. Para pessoas maiores de 13 anos, 6.521 casos. Gestantes com HIV, 992 casos.

"Grandes artistas da música abraçam a luta contra a AIDS num mega show de conscientização!" (Salvador / BA).


"SP promove mutirão para testes gratuitos de HIV até 1º de dezembro

A partir da próxima terça, 120 mil exames devem ser feitos para incentivar diagnóstico precoce"

O Estado de S. Paulo

"Seminário e oficinas marcarão o Dia Mundial de Combate à Aids no Pará"
Agencia Pará de Noticias

World AIDS Day is December 1st
Posted: Nov 30, 2010 7:40 PM

Wisconsin (Press Release) -- Health officials are calling for renewed efforts to combat the HIV epidemic on this 22nd anniversary of World AIDS Day. Since 1983, more than 11,000 people in Wisconsin have been reported to be infected with HIV and more than 3,800 have died. Currently, more than 9,000 people are estimated to be living with HIV/AIDS in Wisconsin.

Worldwide, more than 33 million people are living with HIV and more than 7,300 individuals are infected daily. An estimated 1.1 million Americans are living with HIV and one out of five people with HIV do not yet know they are infected.

"World AIDS Day is an opportunity for each of us to renew our personal commitment to curtail the growth of the HIV epidemic," said Department of Health Services Secretary Karen Timberlake. "Anyone can become infected with HIV, regardless of age, gender, race, ethnicity, sexual orientation, gender identity, or socioeconomic circumstance. Some of our communities are especially hard hit by HIV, making it vitally important to focus our efforts on helping people with the greatest need for prevention and treatment services."

Both nationally and in Wisconsin, gay and bisexual men of all races account for the majority of HIV cases, making up 68 percent of Wisconsin cases in 2009. After declining between 1990 and 2001, the number of reported cases of HIV infection among gay and bisexual men increased 57 percent between 2001 and 2009.

Black men and women and Hispanic men also have high rates of HIV compared with other racial or ethnic groups. The reported HIV infection rate in 2009 was nine times greater for African American males and five times greater for Hispanic males than for Whites. In 2009, 77 percent of all females reported with HIV infection in Wisconsin were members of racial and ethnic minority groups. Among females, the reported HIV infection rate was 25 times greater for African Americans and eight times greater for Hispanics than for Whites.

Health officials suggest several ways to prevent HIV infection:

• Use safer-sex methods

• Talk about HIV prevention with family, friends, and colleagues

• Get tested for HIV

• Decide not to engage in high risk behaviors

• Provide support to people living with HIV/AIDS

• Get involved with community efforts to raise awareness about the importance of HIV prevention and treatment and the ways that stigma associated with HIV can increase the number of people engaging in high risk behaviors

For questions about HIV or HIV testing, talk with your health care provider, local health department, or call 1-800-334-2437 to locate HIV testing resources in Wisconsin.

To learn more about World AIDS Day and HIV infection in Wisconsin, go to http://dhs.wisconsin.gov/aids-hiv.


O Brasil e o Mundo numa mesma batalha

post EdyunhoSaez

terça-feira, outubro 12

Desde 1931 já havia sido dito

‎"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers, 1931
post edynhosaez

segunda-feira, outubro 4

2010: pra não ser esquecido!

Marina Silva e Guilherme Leal

Marina Silva, candidata do PV à Presidência da República, afirmou em pronunciamento na noite deste domingo (3) que sua candidatura alcançou um de seus principais objetivos, quebrar a ideia de que esta seria uma eleição “plebiscitária”.

Essa conquista, representada pelos 20% de votos conquistados, “nos faz sentir profundamente vitoriosos”, disse Marina. Mesmo não conseguindo chegar ao segundo turno, “estamos em primeiro lugar no turno de uma nova política que se inaugura no Brasil”, afirmou a candidata.

Guilherme Leal, candidato a vice na chapa de Marina Silva, falou de sua satisfação em saber que tantos sonham em fazer do Brasil “uma grande nação, mais justa, mais próspera, uma nação de que todos possam se orgulhar”.

Fiquei muito feliz com todos esses votos. São sim dignos de comemoração! Sempre "tucano" mudei meu voto, arriscando um 2o turno. Não me digam que agora, todos esses votos alavancados por Marina migrem para Dilma! não mesmo!!! Por tudo que ví e ouvi nos ultimos dias... Marina NÃO apovou o governo LULA, saiu antes de ser envolvida ou engolida por toda sujeira... Dilma está lá, junto com Pallocci, Zé Dirceu, Collor, Sarneys... Meu voto valeu! E agora valerá dobrado!

Parabéns a todos nós!

post EdynhoSaez

"Somos Vitoriosos"

Somos companheiros de 20 milhões de brasileiros

terça-feira, setembro 21

Viver ou juntar dinheiro???

Numa avalanche de e-mails políticos, criticos e quase inúteis, eis uma pérola no meio de tanta lama!

Viver ou juntar dinheiro? Por Max Gehringer
Recebi uma mensagem muito interessante de um ouvinte da CBN e peço licença para lê-la na íntegra, porque ela nem precisa dos meus comentários. Lá vai:


"Prezado Max meu nome é Sérgio, tenho 61 anos, e pertenço a uma geração azarada. Quando eu era jovem as pessoas diziam em escutar os mais velhos, que eram mais sábios agora me dizem que tenho de escutar os jovens porque são mais inteligentes.

Na semana passada eu li numa revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. E eu aprendi muita coisa. Aprendi por exemplo, que se eu tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, durante os últimos 40 anos, eu teria economizado R$ 30.000,00. Se eu tivesse deixado de comer uma pizza por mês teria economizado R$ 12.000,00 e assim por diante. Impressionado peguei um papel e comecei a fazer contas, e descobri para minha surpresa que hoje eu poderia estar milionário.

Bastava eu não ter tomado as caipirinhas que eu tomei, não ter feito muitas das viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que eu comprei, e principalmente não ter desperdiçado meu dinheiro, em itens supérfluos e descartáveis.


Ao concluir os cálculos percebi que hoje eu poderia ter quase R$ 500.000,00 na conta bancária. É claro que eu não tenho este dinheiro. Mas se tivesse sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?

Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar com itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que eu quisesse e tomar cafezinhos à vontade. Por isso acho que me sinto feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro com prazer e por prazer.

E recomendo aos jovens e brilhantes executivos, que façam a mesma coisa que eu fiz. Caso contrário eles chegarão aos 61 anos com um monte de dinheiro, mas sem ter vivido a vida".

No mínimo, para pensar...

"Não eduque o seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim ele saberá o valor das coisas e não o preço!"
post EdynhoSaez