domingo, dezembro 5

Violência contra homossexuais - por Dráuzio Varella


Violência contra homossexuais


Negar direitos a casais do mesmo sexo é imposição que vai contra princípios elementares de justiça


A HOMOSSEXUALIDADE é uma ilha cercada de ignorância por todos os lados. Nesse sentido, não existe aspecto do comportamento humano que se lhe compare.
Não há descrição de civilização alguma, de qualquer época, que não faça referência a mulheres e a homens homossexuais. Apesar de tal constatação, esse comportamento ainda é chamado de antinatural.
Os que assim o julgam partem do princípio de que a natureza (leia-se Deus) criou os órgãos sexuais para a procriação; portanto, qualquer relacionamento que não envolva pênis e vagina vai contra ela (ou Ele).
Se partirmos de princípio tão frágil, como justificar a prática de sexo anal entre heterossexuais? E o sexo oral? E o beijo na boca? Deus não teria criado a boca para comer e a língua para articular palavras?
Se a homossexualidade fosse apenas uma perversão humana, não seria encontrada em outros animais. Desde o início do século 20, no entanto, ela tem sido descrita em grande variedade de invertebrados e em vertebrados, como répteis, pássaros e mamíferos.
Em alguma fase da vida de virtualmente todas as espécies de pássaros, ocorrem interações homossexuais que, pelo menos entre os machos, ocasionalmente terminam em orgasmo e ejaculação.
Comportamento homossexual foi documentado em fêmeas e machos de ao menos 71 espécies de mamíferos, incluindo ratos, camundongos, hamsters, cobaias, coelhos, porcos-espinhos, cães, gatos, cabritos, gado, porcos, antílopes, carneiros, macacos e até leões, os reis da selva.
A homossexualidade entre primatas não humanos está fartamente documentada na literatura científica. Já em 1914, Hamilton publicou no "Journal of Animal Behaviour" um estudo sobre as tendências sexuais em macacos e babuínos, no qual descreveu intercursos com contato vaginal entre as fêmeas e penetração anal entre os machos dessas espécies. Em 1917, Kempf relatou observações semelhantes.
Masturbação mútua e penetração anal estão no repertório sexual de todos os primatas já estudados, inclusive bonobos e chimpanzés, nossos parentes mais próximos.
Considerar contra a natureza as práticas homossexuais da espécie humana é ignorar todo o conhecimento adquirido pelos etologistas em mais de um século de pesquisas.
Os que se sentem pessoalmente ofendidos pela existência de homossexuais talvez imaginem que eles escolheram pertencer a essa minoria por mero capricho. Quer dizer, num belo dia, pensaram: eu poderia ser heterossexual, mas, como sou sem-vergonha, prefiro me relacionar com pessoas do mesmo sexo.
Não sejamos ridículos; quem escolheria a homossexualidade se pudesse ser como a maioria dominante? Se a vida já é dura para os heterossexuais, imagine para os outros.
A sexualidade não admite opções, simplesmente se impõe. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais. O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira.
Mais antiga do que a roda, a homossexualidade é tão legítima e inevitável quanto a heterossexualidade. Reprimi-la é ato de violência que deve ser punido de forma exemplar, como alguns países o fazem com o racismo.
Os que se sentem ultrajados pela presença de homossexuais que procurem no âmago das próprias inclinações sexuais as razões para justificar o ultraje. Ao contrário dos conturbados e inseguros, mulheres e homens em paz com a sexualidade pessoal aceitam a alheia com respeito e naturalidade.
Negar a pessoas do mesmo sexo permissão para viverem em uniões estáveis com os mesmos direitos das uniões heterossexuais é uma imposição abusiva que vai contra os princípios mais elementares de justiça social.
Os pastores de almas que se opõem ao casamento entre homossexuais têm o direito de recomendar a seus rebanhos que não o façam, mas não podem ser nazistas a ponto de pretender impor sua vontade aos mais esclarecidos.
Afinal, caro leitor, a menos que suas noites sejam atormentadas por fantasias sexuais inconfessáveis, que diferença faz se a colega de escritório é apaixonada por uma mulher? Se o vizinho dorme com outro homem? Se, ao morrer, o apartamento dele será herdado por um sobrinho ou pelo companheiro com quem viveu por 30 anos?
Drauzio Varella
post EdynhoSaez

terça-feira, novembro 30

1o. Dezembro / World Day to Combat AIDS


O 1º. de dezembro se transformou em dia de luta contra a Aids, nesse dia, é importante reforçar a solidariedade e a compaixão com as pessoas portadoras do vírus HIV.

A Organização Mundial da Saúde passou a escolher grupos sociais atingidos pela Aids e definir estratégias para uma campanha com o objetivo de sensibilizar a opinião pública.

O vírus HIV é o causador da Aids e foi descoberto em 1979, pelo Instituto Pasteur, na França. A sigla do vírus está em inglês e significa Vírus da Imunodeficiência Humana.

tá na rede:

PLANTÃO GAZETA
30/11/2010 11:43
Amanhã é Dia Mundial de Luta contra a Aids
Esta quarta-feira (01.12) é o Dia Mundial de Luta contra a Aids. O dia foi instituído como forma de despertar a consciência da necessidade da prevenção, aumentar a compreensão sobre a pandemia e promover análises da sociedade e órgãos públicos sobre a doença.

Em todas as edições é definido um tema para trabalho. Neste 1º de dezembro de 2010 foram escolhidos temas relacionados ao preconceito ainda latente na sociedade de uma forma geral. “O preconceito apresenta-se como uma das maiores barreiras para quem vive com Aids, interferindo até na adesão ao tratamento. A Aids é uma doença crônica que possui tratamento e controle”, disse a técnica da Coordenadoria Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, Marlene Plaster.

Para este ano, a Campanha de Conscientização terá como público alvo jovens em geral (homens e mulheres), com idade de 15 a 24 anos, com prioridade nas populações de baixa renda. A proposta segunda a técnica é dar maior visibilidade as questões de viver com HIV/AIDS além de combater o estigma e a discriminação e mostrar a proximidade da doença do universo dos jovens.

Segundo o Sinan, do ano de 1989 a novembro de 2010, Mato Grosso apresentou registro de 8.930 casos de AIDS. Dados específicos em menores de 13 anos, a notificação é de 197 casos. Para pessoas maiores de 13 anos, 6.521 casos. Gestantes com HIV, 992 casos.

"Grandes artistas da música abraçam a luta contra a AIDS num mega show de conscientização!" (Salvador / BA).


"SP promove mutirão para testes gratuitos de HIV até 1º de dezembro

A partir da próxima terça, 120 mil exames devem ser feitos para incentivar diagnóstico precoce"

O Estado de S. Paulo

"Seminário e oficinas marcarão o Dia Mundial de Combate à Aids no Pará"
Agencia Pará de Noticias

World AIDS Day is December 1st
Posted: Nov 30, 2010 7:40 PM

Wisconsin (Press Release) -- Health officials are calling for renewed efforts to combat the HIV epidemic on this 22nd anniversary of World AIDS Day. Since 1983, more than 11,000 people in Wisconsin have been reported to be infected with HIV and more than 3,800 have died. Currently, more than 9,000 people are estimated to be living with HIV/AIDS in Wisconsin.

Worldwide, more than 33 million people are living with HIV and more than 7,300 individuals are infected daily. An estimated 1.1 million Americans are living with HIV and one out of five people with HIV do not yet know they are infected.

"World AIDS Day is an opportunity for each of us to renew our personal commitment to curtail the growth of the HIV epidemic," said Department of Health Services Secretary Karen Timberlake. "Anyone can become infected with HIV, regardless of age, gender, race, ethnicity, sexual orientation, gender identity, or socioeconomic circumstance. Some of our communities are especially hard hit by HIV, making it vitally important to focus our efforts on helping people with the greatest need for prevention and treatment services."

Both nationally and in Wisconsin, gay and bisexual men of all races account for the majority of HIV cases, making up 68 percent of Wisconsin cases in 2009. After declining between 1990 and 2001, the number of reported cases of HIV infection among gay and bisexual men increased 57 percent between 2001 and 2009.

Black men and women and Hispanic men also have high rates of HIV compared with other racial or ethnic groups. The reported HIV infection rate in 2009 was nine times greater for African American males and five times greater for Hispanic males than for Whites. In 2009, 77 percent of all females reported with HIV infection in Wisconsin were members of racial and ethnic minority groups. Among females, the reported HIV infection rate was 25 times greater for African Americans and eight times greater for Hispanics than for Whites.

Health officials suggest several ways to prevent HIV infection:

• Use safer-sex methods

• Talk about HIV prevention with family, friends, and colleagues

• Get tested for HIV

• Decide not to engage in high risk behaviors

• Provide support to people living with HIV/AIDS

• Get involved with community efforts to raise awareness about the importance of HIV prevention and treatment and the ways that stigma associated with HIV can increase the number of people engaging in high risk behaviors

For questions about HIV or HIV testing, talk with your health care provider, local health department, or call 1-800-334-2437 to locate HIV testing resources in Wisconsin.

To learn more about World AIDS Day and HIV infection in Wisconsin, go to http://dhs.wisconsin.gov/aids-hiv.


O Brasil e o Mundo numa mesma batalha

post EdyunhoSaez

terça-feira, outubro 12

Desde 1931 já havia sido dito

‎"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers, 1931
post edynhosaez

segunda-feira, outubro 4

2010: pra não ser esquecido!

Marina Silva e Guilherme Leal

Marina Silva, candidata do PV à Presidência da República, afirmou em pronunciamento na noite deste domingo (3) que sua candidatura alcançou um de seus principais objetivos, quebrar a ideia de que esta seria uma eleição “plebiscitária”.

Essa conquista, representada pelos 20% de votos conquistados, “nos faz sentir profundamente vitoriosos”, disse Marina. Mesmo não conseguindo chegar ao segundo turno, “estamos em primeiro lugar no turno de uma nova política que se inaugura no Brasil”, afirmou a candidata.

Guilherme Leal, candidato a vice na chapa de Marina Silva, falou de sua satisfação em saber que tantos sonham em fazer do Brasil “uma grande nação, mais justa, mais próspera, uma nação de que todos possam se orgulhar”.

Fiquei muito feliz com todos esses votos. São sim dignos de comemoração! Sempre "tucano" mudei meu voto, arriscando um 2o turno. Não me digam que agora, todos esses votos alavancados por Marina migrem para Dilma! não mesmo!!! Por tudo que ví e ouvi nos ultimos dias... Marina NÃO apovou o governo LULA, saiu antes de ser envolvida ou engolida por toda sujeira... Dilma está lá, junto com Pallocci, Zé Dirceu, Collor, Sarneys... Meu voto valeu! E agora valerá dobrado!

Parabéns a todos nós!

post EdynhoSaez

"Somos Vitoriosos"

Somos companheiros de 20 milhões de brasileiros

terça-feira, setembro 21

Viver ou juntar dinheiro???

Numa avalanche de e-mails políticos, criticos e quase inúteis, eis uma pérola no meio de tanta lama!

Viver ou juntar dinheiro? Por Max Gehringer
Recebi uma mensagem muito interessante de um ouvinte da CBN e peço licença para lê-la na íntegra, porque ela nem precisa dos meus comentários. Lá vai:


"Prezado Max meu nome é Sérgio, tenho 61 anos, e pertenço a uma geração azarada. Quando eu era jovem as pessoas diziam em escutar os mais velhos, que eram mais sábios agora me dizem que tenho de escutar os jovens porque são mais inteligentes.

Na semana passada eu li numa revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. E eu aprendi muita coisa. Aprendi por exemplo, que se eu tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, durante os últimos 40 anos, eu teria economizado R$ 30.000,00. Se eu tivesse deixado de comer uma pizza por mês teria economizado R$ 12.000,00 e assim por diante. Impressionado peguei um papel e comecei a fazer contas, e descobri para minha surpresa que hoje eu poderia estar milionário.

Bastava eu não ter tomado as caipirinhas que eu tomei, não ter feito muitas das viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que eu comprei, e principalmente não ter desperdiçado meu dinheiro, em itens supérfluos e descartáveis.


Ao concluir os cálculos percebi que hoje eu poderia ter quase R$ 500.000,00 na conta bancária. É claro que eu não tenho este dinheiro. Mas se tivesse sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?

Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar com itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que eu quisesse e tomar cafezinhos à vontade. Por isso acho que me sinto feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro com prazer e por prazer.

E recomendo aos jovens e brilhantes executivos, que façam a mesma coisa que eu fiz. Caso contrário eles chegarão aos 61 anos com um monte de dinheiro, mas sem ter vivido a vida".

No mínimo, para pensar...

"Não eduque o seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim ele saberá o valor das coisas e não o preço!"
post EdynhoSaez

quarta-feira, setembro 15

Zé Dirceu: imprensa tem 'excesso de liberdade'.


AE - Agência Estado

Em palestra para sindicalistas do setor petroleiro da Bahia, na noite de anteontem, em Salvador, o ex-ministro da Casa Civil e ex-deputado pelo PT José Dirceu criticou o que chamou de "excesso de liberdade" da imprensa. "O problema do Brasil é o monopólio das grandes mídias, o excesso de liberdade e do direito de expressão e da imprensa."

Para o ex-ministro, que perdeu o cargo na Casa Civil e o mandato parlamentar em 2005 por conta do escândalo do mensalão, a eleição da candidata de seu partido à Presidência, Dilma Rousseff, "está carimbada" - apesar das recentes denúncias de irregularidades envolvendo o atual governo. Com essa convicção, Dirceu afirmou aos cerca de 100 líderes sindicais que acompanharam sua apresentação que o primeiro ano de governo de Dilma "será certamente marcado pela política", por causa da imprensa.

Dirceu avaliou que a possível eleição de Dilma é fruto, entre outros fatores, da atração do PMDB para a chapa presidencial, mas criticou duramente dois líderes do partido, o presidente do Senado, José Sarney (AP) e o senador Renan Calheiros (AL). "Vocês não vão acreditar que eles são éticos, né?", ironizou. O ex-ministro afirmou ainda que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é "duas vezes maior" que o PT. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

post EdynhoSaez

terça-feira, setembro 14

1 Parlamentar x 344 professores!

Uma frase que deve ser pensada, pois reflete uma verdade triste em nosso País.

No futebol, o Brasil ficou entre os 8 melhores do mundo e todos estão tristes. Na educação é o 85º e ninguém reclama...

EU APOIO ESTA TROCA: TROQUE 01 PARLAMENTAR POR 344 PROFESSORES.

O salário de 344 professores que ensinam é igual ao de 1 parlamentar que rouba. E essa é uma campanha que vale!

Repasso com solidária revolta. Incrível, mas é a pura verdade!

Sinceramente, eu leciono porque sou um idealista e atualmente vejo a profissão como um trabalho social. Mas nessa semana, o soco que tomei na boca do estomago do meu idealismo foi duro!
Descobri que um parlamentar brasileiro custa para o país R$10,2 milhões por ano... São os parlamentares mais caros do mundo. O minuto trabalhado aqui custa ao contribuinte R$11.545.
Na Itália, são gastos com parlamentares R$3,9 milhões, na França, pouco mais de R$2,8 milhões, na Espanha, cada parlamentar custa por ano R$850 mil e na vizinha Argentina R$1,3 milhões.

Trocando em miúdos, um parlamentar custa ao país, por baixo, 688 professores com curso superior!

Diante dos fatos, gostaria muito, amigo, que você divulgasse minha campanha, na qual o lema será:

TROQUE UM PARLAMENTAR POR 344 PROFESSORES.

Agora pergunto: COMO VOCE VAI VOTAR DEPOIS DE LER ESTA MATÉRIA?

Só pra não deixar passar "batido", mas não podemos também nos esquecer que professores devem ser educadores e não sindicalistas e afins, como nossos parlamentares temos inúmeros professores sem preparo algum... é triste, mas é real!

post EdynhoSaez

sexta-feira, setembro 10

Marília Gabriela sobre a Dilma Rousseff


Opinião da Marília Gabriela sobre a Dilma Rousseff.

Para quem não conhece : Marília Gabriela Baston de Toledo Cochrane (Campinas, 31 de maio de 1948) é uma jornalista, atriz, cantora, apresentadora de televisão e escritora brasileira.

Quem tem medo da “doutora” Dilma?

VOU CONFESSAR: Morro de medo de Dilma Rousseff.

Esse governo que tem muitos acertos, mas a roubalheira do governo do PT e o cinismo descarado de LULA em dizer que não sabia de nada nos mete medo.

Não tenho muitos medos na vida, além dos clássicos: de barata, rato, cobra.
Desses bichos tenho mais medo do que de um leão, um tigre ou um urso, mas de gente não costumo ter medo.

Tomara que nunca me aconteça, mas se um dia for assaltada, acho que vai dar para levar um lero com os assaltantes (espero). Não me apavora andar de noite sozinha na rua e, não tenho medo algum das chamadas “autoridades”, só um pouquinho da polícia, mas não muito.

Mas de Dilma não tenho medo; tenho pavor.

Antes de ser candidata, nunca se viu a ministra dar um só sorriso, em nenhuma circunstância.

Depois que começou a correr o Brasil com o presidente, apesar do seu grave problema de saúde, Dilma não para de rir, como se a vida tivesse se tornado um paraíso.

Mas essa simpatia tardia não convenceu. Ela é dura mesmo.

Dilma personifica, para mim, aquele pai autoritário de quem os filhos morrem de medo, aquela diretora de escola que, quando se era chamada em seu gabinete, se ia quase fazendo pipi nas calças, de tanto medo.

Não existe em Dilma um só traço de meiguice, doçura, ternura.

Ela tem filhos, deve ter gasto todo o seu estoque com eles e não sobrou nem um pingo para o resto da humanidade.

Não estou dizendo que ela seja uma pessoa má, pois não a conheço; mas quando ela levanta a sobrancelha, aponta o dedo e fala, com aquela voz de general da ditadura no quartel, é assustador.

E acho muito corajosa a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira, que enfrentou a ministra afirmando que as duas tiveram o famoso encontro.

Uma diz que sim, a outra diz que não, e não vamos esperar que os funcionários do Palácio do Planalto contrariem o que seus superiores disseram que eles deveriam dizer.

Sempre poderá surgir do nada um motorista ou um caseiro, mas não queria estar na pele da suave Lina Vieira.

A voz, o olhar e o dedo de Dilma, e a segurança com que ela vocifera ”suas verdades”, são quase tão apavorantes quanto a voz e o olhar de Collor, quando ele é possuído.

Quando se está dizendo a verdade, ministra, não é preciso gritar; nem gritar nem apontar o dedo para ninguém. Isso só faz quem não está com a razão, é elementar.

Lembro de quando Regina Duarte foi para a televisão dizer que tinha medo de Lula; Regina foi criticada, sofreu com o PT encarnando em cima dela – e quando o PT resolve encarnar, sai de baixo.

Não lembro exatamente de quê Regina disse que tinha medo -nem se explicitou-, mas de uma maneira geral era medo de um possível governo Lula..

Demorei um pouco para entender o quanto Regina tinha razão.

Hoje estamos numa situação pior, e da qual vai ser difícil sair, pois o PT ocupou toda a máquina, como as tropas de um país que invade outro.

Com Dilma seria igual ou pior, mas Deus é grande..

Eles não falaram em 20 anos? Então ainda faltam quase 13, ninguém merece.


Seja bem-vinda, Marina Silva. Tem muito petista arrependido que vai votar em você e impedir que a mestra sem mestrado, Dilma Rousseff, passe para o segundo turno.

Outra boa opção é o atual governador José Serra que já mostrou seriedade e competência.

Só não pode PT, Dilma e alguém da ”turma do Lula”.

post EdynhoSaez

imagem "O Globo"

segunda-feira, setembro 6

Vote Na Dilma!


Não é Polishop, mas está bem próximo!!!!! É imperdível!!!


As promoções da época!

Vote na Dilma e ganhe, inteiramente gratis, um José Sarney de presente agregado ao Michel Temmer.

Mas não é só isso, votando na Dilma você também leva, inteiramente grátis (GRÁTIS???) um Fernando Collor de presente.

Não pense que a promoção termina aqui.

Votando na Dilma você também ganha, inteiramente grátis, um Renan Calheiros e um Jader Barbalho.

Mas atenção: se você votar na Dilma, também ganhará uma Roseana Sarney no Maranhão, uma Ideli Salvati em Santa Catarina e uma Martha Suplício em S. Paulo.

Ligue já para a Dirceu-Shop, e ganhe este maravilhoso pacote de presente: Dilma, Collor, Sarney pai, Sarney filho, Roseana Sarney, Renan Calheiros, Jáder Barbalho, José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoíno, e muito, muito mais, com um único voto.

E tem mais, você também leva inteiramente grátis, bonequinhos do Chavez, do Evo Morales, do Fidel Castro ao lado do Raul Castro, do Ahmadinejad, do Hammas e uma foto autografada das FARC´s da Colombia.

Isso sem falar no poster inteiramente grátis dos líderes dos bandidos "Sem Terra", Pedro Stedile e José Rainha, além do Minc com uniformede guerrilheiro e sequestrador.

Ganhe, ainda, sem concurso, uma leva de deputados especialistas em mensalinhos e mensalões. E mais: ganhe curso intensivo de como esconder dinheiro na cueca, na meia, na bolsa ..., ministrado por Marcos Valério e José Adalberto Vieira da Silva e José Nobre Guimarães.

Tudo isto e muito mais!

Arnaldo Jabour

post EdynhoSaez

domingo, agosto 29

Meninos Carreirinhos de Urucuia

Acabei de assistir na Rede Globo - programa Globo Rural. Parabéns pela reportagem, e obrigado por começar o domingo com alguma coisa inteligente e honesta!


Conheça os meninos que andam pra cima e pra baixo com uma miniatura de carro de boi. Eles gostam de brincar de trabalhar.

Transportam coisas para os pais e avós, preenchendo a infância não só com brincadeiras, mas também afazeres e obrigações.

O trabalho infantil é condenável e proibido por lei. O Estatuto da Criança e do Adolescente, que está completando vinte anos, veda até o aprendizado em condições insalubres e perigosas.

Mas será que isso significa que as crianças não devem fazer nada? Até que ponto um menino pode ajudar a família nos serviços domésticos? Em Minas, eu encontrei um pai que educa os filhos transmitindo um ofício, orientando as tarefas. Conheça os carreirinhos de Urucuia.

Bonito, poético ou precário? O que você acha do velho carro de boi, na lida, assim? No Brasil de hoje, ainda há mais de um milhão deles em ação. Para muitos, é a imagem do atraso.

E se os seus filhos quisessem carrear? Pois, esses três meninos ganharam o que chamam de carrinho de bode. E passam todo o tempo que podem pra cima e pra baixo, carregando coisas. Preenchendo a infância não só com brincadeiras mas também com afazeres e obrigações.

Nos encontramos estes carreirinhos durante uma reportagem que fazíamos sobre as veredas do norte de Minas, região que o escritor Guimarães Rosa, imortalizou como Grande Sertão. Viajando pelo município de Urucuia cruzamos os carreiros em miniatura. Uma cena que faria qualquer um parara para tirar uma fotografia.

Tiago tem cinco anos. Ranael, nove, e Lucas, doze. Vivem na zona rural de Urucuia, norte de Minas, quase divisa com Goiás, mais perto de Brasília que de Belo Horizonte.
A propriedade da família deles fica na ponta de uma vereda, onde crescem os buritizais.

Miguel Durães, entre outras coisas, é carreiro. Faz carreto de tudo, como de lenha. Pra ele e pros vizinhos. Aliás, pra ele mesmo, pouco: os meninos já dão conta desta e de outras tarefas.

Miguel cuida do corte. Vai lenhando o mato e empilha na beira da estrada. Lucas e Ranael, quase sempre também contando com a companhia do primo Celsinho, fazem o carregamento do carrinho de bode. Tiago, o caçulinha da turma, se senta na canga pra servir de breque.

Lucas, o mais velho, é o que tem mais experiência na condução. Vai na guia, orientando as juntas pelo caminho. Os outros pegam carona sobre a carga.

Ao passar por um desnível do terreno o carro trava na subidinha. Nada sério. É só dar uma empurradinha. A viagem de volta não tem demora. Coisa de vinte minutos já estão chegando à casa. Erinilva vem encontrar os meninos pra agradecer a ajuda.

”Eles sempre pegam lenha, não falta para cozinhar. Eles não reclama, é uma brincadeira deles”, explica Erinilva.

Tarefa cumprida, Lucas leva as juntas para o pastinho perto da represa, toma um gole d´água junto com os outros. E não demora, vai repetir a tarefa. Num outro momento ele já está, acompanhado de Ranael, na casa ao lado onde vive a avó, a quem chamam de “mãinha”. Por sua vez, chama Ranael de “bebê”.

Um esclarecimento importante: você que mora em cidade, comunga dos conceitos urbanos sobre como educar os filhos, talvez se incomode com as cenas de algumas atividades dos carreirinhos e Urucuia. Pode relaxar, deixe um pouco de lado a preocupação com trabalho infantil, exploração de menores. No final, quem sabe, a gente tenha novos ou velhos argumentos sobre o que uma criança deve ou não, pode ou não fazer.

Mais talvez do que, na capital, uma criança da classe média vai ao shopping, aqui
eles vêm se banhar na vereda. Um festival de cambalhotas. Encarapitados nas costas
do pai, vão conhecer as partes mais funda dos poços.

Em dias de calor, hora boa é a de enfiar a cara na ducha que cai da roda d´água. “Quando esquenta eles vem pra cá, uma duas vexzes por semana. Mas eu sempre venho com eles, e quando eu não posso a mãe deles vem. De vez eles reclamam de fazer algumas coisa, mas é difícil. Bater não adianta, porque a coisa que eu mais detesto no mundo é ver um pai ou uma mãe encostar no filho pra bater”, diz.

A mesma naturalidade que têm pra acompanhar o pai na diversão, os meninos
apresentam para seguir Miguel em muitos momentos de trabalho. Miguel sai pra carrear, eles não perdem a oportunidade de uma lição extra.

Numa limpa do mandiocal, podem ser vistos manejando as ferramentas também.
Lucas com a enxada, ranael com o enxadão. Uma pra capinar o matinho leve;
o outro pra arrancar moita, cavar mais fundo no chão.

Os meninos chamam o Miguel de pai, mas houve um tempo em que o mais apropriado era chamar de mãe também. Hoje, Miguel é casado com a Erinilva, com quem teve o Thiago, o caçula. O Ranael e o Lucas ficaram órfãos bem pequenininhos.

Noêmia morreu de calazar, a leishmaniose. Ela foi diagnosticada tarde demais quando a doença já tinha atacado os órgãos. Miguel conta que a família da falecida queria ficar com os meninos, mas ele achou que sozinho podia dar conta de criar os dois.

Vem desse tempo o gosto dos meninos por montaria. Cavalo, pra eles, é sinônimo de brinquedo, de diversão solta, tourear o desafio, dar empinadinha. De cortar caminho por dentro da lagoa, meter o bicho n´água pra sentir o bicho nadar.

Mas cavalo também é sinônimo de serviço. Na hora de recolher o gado, os meninos ajudam a campear. Fazem um cerco conforme a orientação do pai.

Voltando ao fio da meada, seis anos atrás, Miguel se casou com a Erinilva. Ela abraçou a criação dos três. “O nosso relacionamento antes e hoje... a gente se dá bem, porque eles me respeitam como se eu fosse mãe deles e eu também considero eles como se fossem meus próprios filhos”, diz.

Ao sistema do Miguel, Erinilva veio acrescentar regras e rotina. Por exemplo, todo o fim de tarde, depois do banho tomado a meninada tem que fazer a lição de casa.

A rotina dos carreirinhos de Miguel começa cedo. Äs seis da manhã, já acordaram, tomaram café, se arrumaram e deixam a casa para irem à pé até a estrada onde passa o ônibus escolar de Urucuia.

Eles fazem parte do programa de transporte que pega os alunos, mesmo os das propriedades mais remotas, e os leva para uma escola central. A deles, no caso, ainda
fica distante uma hora da cidade. Tem quatrocentos estudantes. Lucas, está na sexta série, e Ranael na terceira.

Sobre o desenvolvimento escolar deles, ouça a avaliação da diretora Elizane Resende. “São alunos disciplinados, são bons alunos, não temos problemas com eles”, diz.

Por volta de uma da tarde, Lucas e Ranael já estão em casa. Vem almoçados da escola. Mal tiram o uniforme e já começam a brincadeira com o carrinho de bode. Nós estamos falando carrinho de bode, mas você que é do ramo e conhece sabe que o que está sendo atrelado são carneiros. É que originalmente havia uma junta de bode, Rochedo e Remanso. Rochedo virou janta e não foi da família.

“A onça comeu o Brilhante, ficou só o Brilhoso. Aí de pois passou muito tempo e a onça passou aqui de novo e comeu o Rochedo e ficou só o Remanso”.

O Remanso continua por aqui, fora do carreio, pois não tem mais par. Está com a cabritata que se forma outra vez. Quem conta a história da onça é o Thalisson, primo mais velho, criado que nem eles, e que, na ausência do Miguel, também ensina os meninos, principalmente a carrear. Como um instrutor de auto-escola sai pra estrada dando aulas de condução.

Menino tem esse condão de fazer brincadeira virar coisa séria e obrigação virar diversão. Ao longo da semana que passamos com eles, os vi entretidos nas
mais variadas tarefas. É no carrinho que beiram a cerca do chiqueiro para
dar o trato aos porcos. Brinquedo, brinquedo mesmo, um ou outro, eles também
têm. Mas, os vi pulando os briquedinhos comuns para águar a horta de “mãinha”.

Restos de carrinhos servindo de trave para um futebolzinho animado. Martelinho quicando no toco para triturar o grão de milho – é assim que preparam a quirera
pros pintinhos.

Mãozinhas firmes debulhando milho para servir o galinheiro. Mãozinhas nos tetos aprendendo a ordenhar a vaquinha. Vi a farra no curral, menino fazendo de conta que é peão. Compenetrado, sentadinho no banco, no be-a-bá da religião. Vi Lucas pronto a repartir o que tem com os irmãos.

Na despedida, eu tento conversar com Miguel sobre a filosofia da criação. Mas, ele diz
que, aqui, não tem disso, não. “Futuramente eu quero que eles terminem os estudos deles, quando eles forem maior, se eles quiserem ir morar na cidade, procurar um emprego tudo bem, mas se eles quiserem continuar aqui, estão preparados”, afirma o pai.

É lógico: eu perguntei a eles o que querem ser quando crescerem. Tiago, o caçula, ainda não sabe; Lucas, o mais velho quer ser veterinário. O Ranael, do meio, de boca cheia, falou que quer ser vaqueiro.

www.globo.com/globorural
post EdynhoSaez